Escola sem paredes

AS POSSIBILIDADES INFINITAS DO APRENDIZADO

A arte é um aprendizado contínuo e a educação através da arte integra a aprendizagem e cria uma experiência de conhecimento mais orgânica.

A aprendizagem é um processo dinâmico e vivo e nosso papel é estimular a experimentação, o crescimento e a transformação contínua.

Apostamos na potência dos encontros, na coragem e força do trabalho em grupo, na liberdade trazida pela ousadia do teatro para criação de novas possibilidades.

Em 2007 a Companhia migrou para a região portuária do Rio de Janeiro buscando maior diálogo com o próprio território, e foi criado um programa de oficinas integradas e peripatéticas. Nasce então o Projeto Gigantes pela própria Natureza - orquestra itinerante sobre pernas de pau, constituído por oficinas práticas e teóricas, gratuitas, ministradas por integrantes da Cia Brasileira de Mystérios e Novidades e profissionais convidados. Este projeto inaugurou as atividades educativas da nova sede da Companhia, Casa de Mystérios e de sua sede pública, Praça da Harmonia, reunindo jovens e adultos de diferentes pontos da cidade que atuam junto à Companhia no seu calendário de apresentações e manifestações artísticas. Arte Pública praticada.

“A imaginação é tudo. É a prévia das próximas atrações da vida.” Albert Einstein

GIGANTES PELA PRÓPRIA NATUREZA

Orquestra Itinerante de Rua sobre pernas de pau

A Grande Companhia Brasileira de Mystérios e Novidades apresenta seu projeto Gigantes pela Própria Natureza, orquestra sobre andas (pernas-de-pau) composta por músicos / atores profissionais e amadores.

O projeto, em sua dimensão social, visa à inclusão de jovens identificados em comunidades de baixa renda ou em situação de risco que irão ampliar o número de talentos da orquestra.

Fundamentado na pesquisa das músicas das tradições indígenas, africanas e europeias o repertório está referenciado no trabalho realizado por Mario de Andrade, que transposto para a realidade urbana, vincula tradição e contemporaneidade resultando em apresentações de espetáculos de rua.

O projeto tem concepção e direção geral de Ligia Veiga, diretora da Grande Companhia Brasileira de Mystérios e Novidades, é constituído por um programa de 8 oficinas práticas e teóricas, gratuitas,  ministradas por integrantes da Cia Brasileira de Mystérios e Novidades e profissionais convidados , e tem direção musical de Tato Taborda.
As oficinas:
- Percepção musical
- Educação da Voz
- Percussão
- Sopros e cordas
- Educação do Corpo e Dança
- Dança nas Alturas (sobre pernas de pau)
- Teatro de rua.

O projeto contempla, também, a realização de oficinas para confecção de instrumentos musicais e figurinos, e prevê para estas oficinas a participação de familiares.

Gigantes pela Própria Natureza teve início em 2007 com o patrocínio da OI e apoio OI Futuro através da Lei de Incentivo do ICMS. Através de editais de fomento foram realizadas mais duas edições. Buscamos parcerias para a 4 Edição.

DANÇA NAS ALTURAS

Técnica da perna de pau para um Teatro Musicado

A oficina visa introduzir a linguagem do Teatro de Rua com a marca da Grande Companhia Brasileira de Mystérios e Novidades, que nos seus espetáculos com coreografias em pernas-de-pau e música ao vivo, busca recuperar a linguagem gestual dos antigos atores/músicos populares, inscrevendo-se na categoria Ópera Popular

A proposta é desenvolver o potencial criativo dos participantes, tendo no trabalho corporal, com suas percepções e expressões elemento básico para o seu desenvolvimento. Através de jogos com o corpo, busca-se no desequilíbrio o eixo, no equilíbrio o impulso.

Além desses elementos, utilizam-se o teatro, a música e a dança para o jogo das personagens e para fomentar a descoberta e o redimensionamento da linguagem cênica.

O aprendizado da técnica da perna de pau aplicado à dança e ao teatro, através de ritmos, cantos, coreografias e ações dramáticas, facilita a assimilação do aprendizado e dá naturalidade ao brincante.

Estimula e exercita a atenção, o equilíbrio, a ousadia, a confiança no próprio corpo e o espírito de colaboração.

A brincadeira com pernas de pau tem um passado mítico e ritual significativo e o uso desta técnica milenar no teatro aparece desde os saltimbancos medievais.

ESTADOS DE CRIAÇÃO

O mundo está repleto: pode suceder qualquer coisa
(John Cage)

Som e movimento e a música no corpo: a linguagem corporal no jogo teatral.

Abrir uma brecha no tempo e no espaço cotidiano da cidade, restabelecer jogos e rituais coletivos, cantos e danças, reflexões e experiências sobre o tempo em que vivemos, a falta de tempo, o tempo das coisas, o tempo perdido até lançar-nos na aventura de esculpir o tempo!

Trata-se da construção de campo, espaço com e entre nós onde a experimentação seja possível e desejada. QUERER.

Transitar por intensidades e dinâmicas musicais diversas para estimular no corpo uma expressão mais completa, livre e genuína.

A proposta é desenvolver o potencial criativo dos participantes, tendo no trabalho corporal, com suas percepções e expressões elemento básico para o seu desenvolvimento.

Além desses elementos, utilizam-se o teatro, a música e a dança para o jogo das personagens e para fomentar a descoberta e o redimensionamento da linguagem cênica.